xvi salão internacional de bd de viseu

Standard
xvi salão bd viseu

xvi salão bd viseu

Adoro banda desenhada de tal forma que foram feitos 390km (ida-e-volta) para atingir as instalações do IPJ em Viseu. E chegado aí sofri a primeira e única desilusão: a inexistência da feira do livro. É lamentável que não tenha sido colocada está informação num qualquer lugar deste vasto universo virtual tendo em conta que a organização já sabia desse facto 15 dias antes do salão iniciar. Desilusão porque desejava ter os meus “novos” exemplares de Pedro Massano autografados; única porque o que me levou a visitar o salão foram vários factores.

xvi salão bd viseu

salão de banda desenhada de viseu

A responsabilidade do salão é do GICAV- Grupo de Intervenção e Criatividade Artística de Viseu. É um salão parco, isento de luxos, mas importante para a divulgação e promoção da banda desenhada. E sendo, digamos, um salão mais intimista permitiu-me sentir com outro olhar e outra proximidade os autores de banda desenhada.

Pude, igualmente, iniciar com um “bonjour” uma suave conversa com Alexandru Ciubotariu enquanto este me desenhava in loco uma pequena brincadeira.

alexandru ciubotariu

Pedro Massano foi o homenageado desta edição do Salão Internacional de Banda Desenhada de Viseu; jornalista, editor, ilustrador, autor, crítico e divulgador de banda desenhada, nasceu em 15 de agosto de 1948, em Lisboa teve o seu primeiro álbum editado em 1977, “A Primeira Aventura no País de João”, segundo textos de Maria Alberta Menéres, pela Comissão Organizadora do Dia de Camões e das Comunidades Portuguesas, com a impressionante tiragem de 500 mil exemplares, provavelmente uma tiragem sem paralelo no nosso país.

breve discurso de pedro massano após receber o prémio

Pedro Massano também me “ofereceu” um desenho que tem um fait-diver. Depois de realizar o esboço inicial do desenho a lápis, pegou na caneta de feltro preta para cobrir os traços do lápis. No final dessa tarefa a palma da mão suja com um pouco de tinta da caneta deixou umas pequenas manchas na folha de papel. Eu quando vi aquilo congelei, “não acredito nisto, que merda!”- pensei. “Está manchado.”- disse-me, logo de seguida, um Pedro Massano aborrecido. Então em traços rápidos limpou com uma fantástica criatividade as manchas com um novo desenho. Ganhei como que um 2 em 1.

pedro massano

Acabei por adquirir, foi a minha única compra, dois fanzines da Luminus Box. Catarina Guerreiro, Tânia Guita, Telma Guita e Sara Martins, as Luminus Box, foram convidadas para representar no salão a bd Manga.

Comprei com imenso prazer os dois fanzines e gostei bastante de inicialmente os folhear e depois de os ler criticamente.

Como tinha de arrancar para Barcelos e porque fui, eu e os outros, simpaticamente afastado da presença delas: era hora do jantar dos convidados do salão e eu tinha de regressar a Barcelos, não tive a oportunidade de pedir um desenho a cada um das Luminus Box – foi uma visita à médico.

mundos de fantasia

Como pequeno aparte gostaria de ter uma camisola, xxxl, com os dois gatos desenhados por Tânia Guita; dois porque a sombra tem vida própria. Fiquei com a impressão que a aventura do Arlequim e o episódio “O Torneio dos Clans” por Telma Guita foram desenhados directamente no pc [1].

mundos de fantasia

mundos de fantasia

O que difere assim sendo do registo das outras Luminus. Mas torna transforma, também, a “box” numa caixa de pandora. Se no segundo fanzine Catarina Guerreiro revela-nos personagens e ambientes muito mais trabalhados, Sara Martins desenvolve a história com desenhos fluídos. É uma apetitosa macedónia de estilos que me obriga a manter a “box” debaixo do olho.

Ao pesquisar sobre o salão descubro, tardiamente, que estive ao lado do criador do agradável blog Divulgando Banda-Desenhada.
Gostava de lhe ter perguntado pessoalmente como posso adquirir os fanzines distribuídos na Tertúlia BD de Lisboa.
Já o devia ter feito à mais tempo, mas segue hoje o meu pedido por email/comentário.


upDate 22.09.2009
[1] No seguimento de informação fornecida por Tânia Guita aka Telnia transcrevo a sua resposta à minha dúvida:
“foram digitalizados e depois trabalhados no Photoshop”

Anúncios

4 thoughts on “xvi salão internacional de bd de viseu

  1. Caro (desconhecido) Paulo Brito
    Foi por mero acaso que vim ter ao seu blogue, que desconhecia.
    Fiquei a saber que ambos estivemos no Salão Internacional de Banda Desenhada de Viseu (atenção, Bongop: este evento actualmente é bienal, portanto, agora, só em 2001).
    Como você conhece o meu blogue, se tivesse visto um dos mais recentes “posts”, um dos quais dedicados ao BD de Viseu, teria constatado que eu informava da minha presença lá no dia 19.
    Aproveito para lhe dizer que, até hoje, o fanzine Tertúlia BDzine nunca esteve à venda (já editei outros títulos que são para vender, os mais recentes são o Eros (nº10) e o Efeméride nº3 (o nº. 4 será lançado no Festival da Amadora), voltando ao TBDzine, destina-se a ser oferecido a quem participa na Tertúlia BD de Lisboa, que organizo mensalmente há 24 anos. Espero que apareça por lá, é sempre na primeira 3ª feira de cada mês.
    Você mora em Lisboa?
    Acerca do Tertúlia BDzine pode ver mais pormenores no meu outro blogue, o http://fanzinesdebandadesenhada.blogspot.com
    Saudações bedéfilas-
    Geraldes Lino (GL)
    .-= Premiados no Concurso de Banda Desenhada do GICAV 09 – Viseu é o último post de Geraldes Lino =-.

    Gostar

deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s