vinte mais dois

Standard

Esta história, Vinte Mais Dois (1961), de Frank Gruber, que teve honras de adaptação cinematográfica, é de fácil leitura. Mas perde-se a páginas tantas. Mais concretamente a partir da página 146. E apesar de Tom Alder, especialista em descobrir herdeiros desaparecidos, ser uma personagem muito interessante e convincente não salva por si só um romance policial transfigurado em história de cordel, tão típicas da revista Maria. Ficamos a saber, na moral da história, que os maus são sempre maus.

Felizmente temos uma Patricia Highsmith para nos dar um mau bom.

Anúncios

deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s